PERDA DE FUNDAMENTOS
E QUANDO A EMPRESA

PERDE OS FUNDAMENTOS?

E aí investidor, esses dias discutíamos no nosso grupo fechado quando um ativo perde seus fundamentos. Seja ele por indicadores financeiros ou então por algo que nem a empresa tem controle, como por exemplo, as leis.

No entanto a discussão se aprofundou em saber como o investidor iria detectar a perda do fundamento de uma empresa ou ativo e como o mesmo deveria se comportar quando isso acontecer. É aí que eu conto minha experiência com a ETER3 (Eternit). 

O Caso

A Eternit é uma empresa que fabrica telhas, louças, metais e cerâmicas. Entre outros produtos para construção civil, mas a principal receita da empresa era oriunda da industrialização e comercialização de telhas. Porém tinha um produto como matéria prima que o uso já era proibido em mais de 60 países, o produto em questão é o amianto.

Para quem não sabe o amianto é uma fibra mineral natural extraída de rochas. É usado para fabricar telhas e caixas d'água. Esse mineral também é conhecido como Asbesto, e pode ocasionar a doença asbestose (nome técnico), popularmente chamada de “pulmão de pedra”.

De acordo com estudos médicos, os riscos surgem apenas quando o material é partido, rachado ou danificado. Fragmentos microscópicos de fibras de amianto são potencialmente perigosos quando inalados e podem provocar doenças respiratórias como o Câncer de pulmão, que é o mais comum em pessoas expostas a este produto.

Sendo assim, o amianto foi proibido definitivamente no Brasil em novembro de 2017, mas já existia um processo em tramite desde 2004.

 

Eternit

O amianto sendo assim proibido em terras tupiniquim, fez com que a empresa tivesse um impacto negativo em sua receita. A empresa detém o controle de uma mineradora chamada SAMA, de onde consegue extrair o produto para a fabricação que fazia ela ter uma ótima margem para poder processar, industrializar e comercializar seus produtos.

Seja membro do nosso grupo. Saiba mais

Com a proibição ela teve que alterar toda sua logística industrial, passando a usar e desenvolver produtos com custo mais elevado como por exemplo fibra sintética de polipropileno.

Fonte: Oceans14

Perceba que a margem bruta tinha uma média de 40% e desde 2017 passou a cair para então os 15% de hoje em dia. Consequentemente a margem liquida piorou muito, da média de 13% para então -30% no presente momento.

Além dos indicadores terem piorado, a gestão perdeu o controle durante o caminho. Sabendo que o uso do amianto poderia vir a ser proibido (como de fato foi) a empresa começou a se alavancar pegando empréstimos de credores europeus para fazer aquisição de participação em empresas do mesmo ramo de construção civil, como por exemplo: a Tégula e a Companhia Sul americana de cerâmica (CSC – empresa colombiana).

Todos os esforços foram tocados com dividas em Euro, quando a cotação do euro estava R$ 2,00. O que acontece quando o euro vai de R$ 2,00 para R$ 4,00? A empresa que já não podia mais vender seus produtos com ótimas margens, entra em recuperação judicial, simples assim.

Fonte: Oceans14

 

Vaca leiteira

Durante a década passada, especialmente entre 2003-2015, a Eternit era considerada uma das melhores empresas da bolsa, se aproveitando do grande momento da construção civil e o "boom" imobiliário no Brasil, ela vendeu muito!

Todos analistas eram unanimes sobre ter Eternit em carteira, pois era o melhor yield naquele período, lucros crescentes, distribuição crescentes.

LPA:

Dividend Yield:

Fonte: Plataforma Penserico.com

 

Parisotto e Barsi (os bilionários da bolsa) falavam que estavam comprando muitas ações desta empresa, e de fato estavam.

Fonte: ri – Eternit

Perceba que o Sr. Barsi ainda tem mais de 8% de participação, ele chegou a ter mais de 14%. Também perceba que o Sr. Parisotto detém em torno de 8%, Geração L.Par é o fundo de investimento administrado por ele e sua equipe.

 

E eu com isso?

Diante do que foi citado, eu fui um dos compradores de ETER3 durante o período que não se falava em amianto. Comecei a comprar durante 2008 onde preço se encontrava entre 9,00 e 10,00, fui comprando até meados de 2013 fazendo com que o ativo tivesse 15% de alocação na carteira de ações e uns 3% do patrimônio total, sendo meu maior risco entre os ativos da época.

Fonte: XP – Historico

Voltando um pouco no tempo, quando comecei eu não sabia o que era alocação de ativos, não imaginava as estratégias para formar um patrimônio em classe de ativos financeiros e muito menos ter controle de riscos. Mas eu comprei porque todos fóruns e analistas da época recomendavam!

Fui comprando e deixando de lado sem entender muito o que estava fazendo. Esse período entre 2007 a 2012 na bolsa, foi um período que eu só conseguia enxergar especulação, só via preço e não entendia o valor. Durante meados de 2012 comecei a estudar indicadores e entender um pouco sobre equilíbrio de ativos e passei a iniciar um processo de controle de risco.

Se baseando nesses estudos iniciais, a Eternit era realmente uma excelente empresa para se ter em carteira com estratégias de longo prazo, indicadores excelentes, empresa que tinha ótimos conselheiros, empresa com caixa liquido e um payout de quase 100%. Era uma vaca leiteira e tanto!

Mas sempre tem um porem, diante de tanta excelência existia o risco incontrolável dos investidores, o risco da lei. A lei começou a ser especulada nas manchetes, o tal do amianto iria entrar na pauta, iria ser proibido ou não, essa era a questão. Diante disso a ação virou a bola da vez, alta volatilidade especulativa.

Nesse período a empresa estava com o melhor yield da bolsa, meu preço médio era na casa dos 10,00, em 2012 o ativo chegou a ser negociado acima de 20,00. Nesse momento o ativo já representava mais de 3% do meu patrimônio, na época eu ainda não sabia o que fazer, não sabia quando vender. Com um yield on cost acima de 20% eu não queria me desfazer, estava apegado ao ativo, era um retorno excelente pelo que foi investido.

Fonte: Fundamentus

Em 2013 começou a repercutir sobre o processo do amianto que tinha iniciado o tramite em 2004 e já era proibido em mais de 60 países. A variação do ativo dobrou chegando a cair 10% em um dia e subir 10% no outro, emoções a flor da pele. Compradores falavam que era oportunidade, vendedores diziam que a empresa já era, acabou.

Mas o fato era que ela continuava tendo resultados crescentes e distribuindo seus lucros que também eram crescentes, mercado tentando antecipar a situação.

O preço começou a despencar de 23,00 para em torno de 15,00, nesse período sr. Barsi soltava nota na mídia que estava aumentando posição e com isso ele segura o book nessa faixa de preço. Até então eu me sentia tranquilo pois ainda tinha uma ótima margem até meu preço médio.

Mas a lei entrou em vigor em diversos países principalmente na Europa, proibiram a indústria, o comercio e manuseio de todos produtos que usavam o amianto como matéria prima. Nesse momento mercado começou a tirar as expectativas e precificar para baixo, chegou em 9,00, neste preço eu me desfiz de 25% da posição que tinha, estava com medo, neste momento já não era mais minha maior posição (era final de 2015, já tinha entendido a filosofia buy&hold).

Logo em seguida a ação caiu de 9,00 para 6,00 e aí nesse momento eu voltei a comprar, caiu para 4,00 comprei mais, comecei a fazer médio para baixo, as notícias eram péssimas. Além do amianto a empresa tinha se endividado muito e a dívida dobrou porque era em moeda estrangeira que tinha subido mais de 100%, neste caso o euro, já citado anteriormente, mas seu Barsi, influenciador mais otimista do mercado, era comprador.

Fonte: Plataforma Penserico.com

Em 2017 o fato enfim se concretiza, o amianto é proibido no Brasil.

Este foi o fim do fundamento da empresa, a ação foi a 3,00 então eu vendi em torno de 30% da posição, já conseguia entender que não tinha mais logica ter a empresa se sua principal matéria prima era proibida de usar, deixei a ETER3 como 5% da carteira e em torno de 1% do patrimônio.

Começou a vir os resultados trimestrais, e todas linhas do resultado negativas, mercado bateu e o preço foi a 1,00. Neste ponto a sardinhada ficou toda contente porque estava muito “barato”. Era a bola da vez nos fóruns.

 

Moral da Historia

O capital que foi sendo salvo aos poucos, virou custo de oportunidade para alocar em outros ativos.

Entenda que você nunca vai saber de fato quando exatamente o mercado vai precificar a perca do fundamento diante de resultados trimestrais, simplesmente abre o mercado, em um dia muito abaixo do que valia um dia antes, e nessa situação começa a especulação de compradores versus vendedores.

O maior erro foi em não ter realizado um pouco quando o ativo mais que dobrou minha posição, mesmo assim com um certo controle de risco tive uma perda significante, mas não me tirou do jogo, foram perdas controláveis. Vi muitas pessoas que seguraram o ativo até hoje, sendo que já grupou e continuou caindo mais ainda. Nesse momento o investidor é torcedor porque ele não tem estratégia, não tem plano de fuga.

Preço médio é para cima e nunca para baixo, essa foi a lição que eu mais aprendi e principalmente saber ajustar posição quando ela já estiver acima dos limites propostos inicialmente.

“Viver sem riscos é triunfar sem gloria” – Pierre Corneille

Saimon_Rijo

 

Considerações Finais:

Logo abaixo deixo alguns links para continuar a leitura e entender melhor todo o caso, é um ótimo aprendizado para entender o que fazer quando acontecer novamente algo parecido, lembrando que o futuro repete o passado, o sentimento de mercado sempre será o mesmo.

Link:

https://noticias.uol.com.br/saude/ultimas-noticias/redacao/2017/11/29/supremo-tribunal-federal-proibe-uso-do-amianto-em-todo-o-pais.htm

https://oglobo.globo.com/economia/apos-proibicao-do-amianto-no-brasil-eternit-pede-recuperacao-judicial-22507163

https://g1.globo.com/economia/noticia/eternit-deixara-de-usar-amianto-em-fabricacao-de-telhas-ate-2018.ghtml

https://moneytimes.com.br/eternit-compra-participacao-da-compania-colombiana-de-ceramica-na-csc/

https://exame.abril.com.br/negocios/a-cegueira-que-levou-a-eternit-a-recuperacao-judicial/

https://moneytimes.com.br/eternit-o-que-o-pequeno-investidor-pode-aprender%E2%80%8B/

 

 

 

 

 

 

41OghRperXL._SL250_
41EXxB6jazL._SL250_
investidor 500 prata$

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.